Ação da Braskem segue quebrando recordes

Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Por Infomoney

Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam Braskem

Silenciosamente, as ações da Braskem (foto) vêm quebrando recordes na Bolsa. Na quinta-feira (19), os papéis encerraram sua 10ª semana seguida no positivo, quando acumulam valorização de 73%. Uma escalada que levou a ação a alcançar uma máxima histórica na Bolsa, superando o recorde anterior do fechamento de 5 de fevereiro de 2005 (a R$ 25,44). Nesta segunda-feira (23), a ação já valia R$ 27,08. No radar da empresa, no entanto, nenhuma notícia específica para uma valorização dessa dimensão, fora uma combinação de cenários que beneficia a empresa: alta do dólar e queda dos preços do petróleo.

Fatores que ajudaram a companhia a reportar um forte resultado do terceiro trimestre, no início de novembro. "Vendas decentes, depreciação do real e alta de 13% na comparação trimestral do spread dos produtos petroquímicos formaram um combo perfeito para o resultado da Braskem", comentou o BTG Pactual na ocasião, enquanto se dividia entre uma leitura de bons números e incertezas sobre o case de investimentos.

Além das incertezas sobre o fechamento do contrato de nafta com a Petrobras, a empresa enfrenta riscos pelo envolvimento nas investigações da Operação Lava Jato. O fato fez com que os analistas seguissem neutros no papel, com preço-alvo de R$ 21 – abaixo do preço atual da ação em Bolsa. Esse mesmos riscos também foram atribuídos pelo Credit Suisse, quando elevou em outubro a recomendação da ação para overweight (desempenho acima da média), passando o preço-alvo de R$ 15,80 para R$ 25,50.  

leia também

A América Latina terá de aprender a crescer sem o impulso das commodities - As matérias-primas não terão um novo ciclo de alta de preços, apesar das altas nos primeiro trimestres do ano

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

Ações da Petrobras fecham abaixo de R$ 5 pela primeira vez em 13 anos - O Ibovespa encerrou o dia no menor nível desde março de 2009, no auge da crise do crédito imobiliário nos EUA

Acordo de leniência da Braskem avança - No ano passado, a petroquímica iniciou investigações internas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: