Brasil, um paraíso para os investidores, mas...

Falta de educação financeira faz com que poucos aproveitem

Por Infomoney

Brasileiro não tem educação financeira, diz analista

O Brasil paga o maior retorno real (descontado a inflação) do mundo para os investidores, de acordo com dados do site Moneyou. Enquanto em países desenvolvidos os juros reais estão próximos do zero ou até mesmo negativos, quem aplica por aqui pode receber mais de 7% ao ano acima da inflação com um título público. Para André Momberger, assessor de investimentos da Focalise Investimentos, essa taxa de juros elevada faz com que o Brasil possa ser considerado um paraíso para os investidores. No entanto, boa parte dos brasileiros não aproveita a oportunidade. Na maior parte dos casos, o investidor aplica em produtos de renda fixa muito pouco rentáveis.

Na opinião de Momberger, isso acontece por três fatores principais. O primeiro deles é a falta de educação financeira. “Não existe um modelo formal. A maioria das pessoas não entende de finanças e investimentos”, afirma. O segundo ponto é que as pessoas acreditam que só terão segurança por meio dos grandes bancos. “As próprias instituições aproveitam e fazem um marketing com isso. Eles dão a entender que só existe segurança ali – o que não é verdade”, pontua. Em terceiro lugar, Momberger explica que muitos investidores querem ter o melhor rendimento com uma liquidez imediata. “O investidor age como se amanhã fosse aparecer sempre a oportunidade da vida. Mas ele acaba nem usando o dinheiro, que fica esquecido em alguma aplicação com liquidez que paga muito pouco”, conta.

Como resolver
Para Momberger, a falta de educação financeira poderia ser sanada se as pessoas se interessassem em pesquisar sobre o assunto e estudar um pouco mais. “Existe uma infinidade de materiais gratuitos na internet”, lembra. Em relação à segurança, ele destaca que aplicações como CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) têm garantia do Fundo Garantidor de Créditos para aplicações de até R$ 250 mil. Isso dá tranquilidade para o investidor procurar aplicações de bancos médios que pagam um retorno mais alto. Além disso, é possível aplicar em títulos públicos que têm o menor risco de crédito de todo mercado, já que são garantidos pelo governo federal. Por fim, em relação à liquidez, o assessor afirma que o investidor precisa ter um controle do fluxo de caixa e separar as aplicações que vai precisar no curto, médio e no longo prazo – já que quanto maior o período da aplicação, melhor costuma ser o retorno.

E a poupança?
A caderneta de poupança, que ainda é a aplicação mais popular no Brasil, também deixa muito a desejar. Enquanto o investidor pode conseguir um retorno de 11% ao ano (já livre de impostos) aplicando em um CDB com liquidez diária, a rentabilidade da caderneta gira em torno de 8% ao ano. “A poupança tem perdido para a inflação”, lembra Rafael Seabra,  especialista em finanças.
Marcelo Carbonari, analista da Futuro Investimentos, também lembra que na poupança o rendimento é pago apenas uma vez por mês. “Se a aplicação foi feita no dia 4 de um mês, por exemplo, só haverá ganho no dia 4 do mês seguinte. Se você resgatar no dia 3 não receberá nenhum rendimento. A correção acontece somente na data de aniversário de aplicação”, destaca. Portanto, mesmo para aquele dinheiro que será preciso usar durante o mês, o ideal é procurar algum fundo DI com liquidez diária.



leia também

A crise invejável da Liderança Serviços - Crescimento da empresa será de “apenas” 8% neste ano

Ações da Marcopolo podem valorizar mais de 50% - Fabricante de ônibus faz parte da carteira da Planner

Balanço ruim da Bematech pode prejudicar papéis - Companhia paranaense teve queda de receita no segundo semestre

BD investirá R$ 105 milhões em fábrica no Sul - Multinacional construirá nova unidade em Curitiba

Brasil Foods investe US$ 16 milhões na Malásia - Companhia quer expandir presença no sudeste asiático

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: