Leilão da Aneel tem apenas quatro lotes arrematados

A Copel levou o Lote E, com valor de R$ 97 milhões

Por Agência Brasil

Usina da Copel

Apenas quatro dos 12 lotes do leilão de transmissão de energia elétrica para contratação do serviço foram arrematados na manhã de hoje (18), em leilão na Bolsa de Valores de São Paulo. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou projetos previstos para 13 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Foram arrematados apenas os lotes de empreendimentos de transmissão nos estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. No total, foram negociados 1.986 quilômetros de linhas de transmissão. O prazo das obras vai variar de 30 a 60 meses e as concessões são de 30 anos a partir da assinatura dos contratos.

O Consórcio Firminópolis, composto pelas empresas Cel Engenharia Ltda e Celg Geração e Transmissão S/A, arrematou o lote L do leilão da Aneel por R$ 6,5 milhões, portanto, sem deságio. O projeto prevê uma linha de transmissão com 83 km de extensão em Goiás. De acordo com a agência, a linha é parte do plano de reforço estrutural para atendimento à região oeste de Goiás. O lote G foi arrematado pela Planova Planejamento e Construções S/A por R$ 60,5 milhões, com deságio de 6,14% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) prevista pela agência no valor de R$ 64,4 milhões.

Esse empreendimento terá uma linha de transmissão com 350 km no Mato Grosso. Ele servirá para expandir o sistema de transmissão ente o estado e Rondônia e o escoamento da energia proveniente das máquinas adicionais das usinas hidroelétricas de Santo Antônio e Tabajara. A Copel Geração e Transmissão S/A (foto) arrematou o Lote E do leilão, com valor de R$ 97,9 milhões, sem deságio em relação à RAP, com valor previsto de R$ 97,9 milhões. O lote é composto por 230 km de linhas de transmissão e 900 MVA de potência de subestações. As instalações servirão para expansão do sistema de transmissão na região entre os estados do Paraná e Santa Catarina. Além disso, vai favorecer o crescimento da carga e o escoamento da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu.

O lote A foi arrematado pelo Consórcio TCL (composto pelas empresas Cimy Holding S/A, Lintran do Brasil Participação S/A e Brookfield Participações Ltda.), com oferta de R$ 448,8 milhões, sem deságio em relação à RAP, de R$ 448,8 milhões. A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações. Esse lote é composto por 11 linhas de transmissão, com 1323 quilômetros (km) e nove subestações com 4430 megavolt-ampère (MVA) de potência, localizadas em Minas Gerais. As instalações servirão, segundo a Aneel, para aumentar a confiabilidade ao atendimento elétrico no leste do estado, que concentra uma das mais importantes regiões produtoras de minério e siderurgia do Brasil, conhecida como Vale do Aço. A Agência Nacional de Energia Elétrica informou que os lotes que não receberam propostas ( B, C, BC, D, F, H, I, J e K) serão leiloados nos próximos certames.


leia também

A gigante da energia paranaense - Como a Copel usou a engenharia para vencer os limites estaduais

Acordo entre Eletrosul e chinesas gerará 10 mil empregos no Sul - As obras devem se prolongar até 2022, com um investimento de quase R$ 4 bilhões

Aneel autoriza reajuste de tarifas de energia da região Sul - Três das cinco cooperativas terão valores reduzidos

Aneel dá prazo para Eletrosul e Shangai fecharem contrato - O negócio gira em torno de R$ 4,1 bilhões, em valores atualizados

Aneel recomenda fim do contrato de concessão da Eletrosul no RS - Os ativos serão incluídos no próximo leilão que licitará 7 mil quilômetros de linhas e investimentos de R$ 14 bilhões

Antonio Guetter é o novo presidente da Copel - Funcionário de carreira, executivo dirigia a Copel Distribuição

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: