MRV Engenharia amplia lançamentos no Sul

Entre julho e setembro, empresa lançou 17 empreendimentos na região

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Marcelo Alves, gestor executivo de vendas da MRV Engenharia da região Sul

A MRV Engenharia elevou seus investimentos no período de julho a setembro deste ano. A empresa lançou R$ 1,04 bilhão em Valor Geral de Venda (VGV), 13,1% acima do mesmo intervalo no ano anterior. As 7.452 novas unidades foram lançadas via FGTS – devido à maior resiliência desse mercado – e fazem parte do programa Minha Casa, Minha Vida.

Dentre os seis estados brasileiros que apresentaram novidades neste terceiro trimestre estão Rio Grande do Sul e Paraná, onde a mineira atua desde 2014, e que somaram R$ 132,2 milhões em lançamentos, 13% da oferta nacional. “A estratégia é priorizar locais que apresentam manutenção da demanda e baixa competitividade, como vem sendo apresentado pelo Sul”, revela Marcelo Alves (foto), gestor executivo de vendas da MRV Engenharia da região. Tanto é verdade que somente entre julho e setembro deste ano, a construtora lançou 17 empreendimentos – oito no Paraná, cinco em Santa Catarina e quatro no Rio Grande do Sul.  No Paraná, foram dois lançamentos no terceiro trimestre: o Spazio Liverpool, em Londrina, e Spazio Montseny, em Maringá. A partir de outubro, estão previstos outros seis novos empreendimentos: dois em Londrina, dois em Curitiba, um em Arapongas e outro em Maringá.

Joinville também ganhou dois novos empreendimentos neste ano: o Spazio Jovitá e o Spazio Jardim de Viena. Agora a companhia se prepara para lançar mais três empreendimentos: o Spazio Jardim de Bari, o Spazio Jardim de Açores e Spazio Jardim dos Rouxinóis. Ao todo, serão 1.392 novas unidades, tornando Joinville a cidade com a maior oferta de produtos do Sul. No estado gaúcho, o Porto Oriente teve lançamento em Porto Alegre no segundo semestre. Até o final do ano, mais três serão lançados: Porto dos Anjos, em Gravataí; Porto Veríssimo, em Porto Alegre; e Porto Ametista, em Canoas.

A maior parcela é de clientes cuja renda varia entre três a seis salários mínimos e que estão em busca do primeiro imóvel.  Isso dá confiança para a construtora. “O segmento continua tendo demanda e as condições para concessão de crédito aos nossos consumidores estão mantidas”, conta Alves.  A MRV, segundo ele, tem conseguido manter neste ano os resultados do período pré-crise pelo fato de colocar em prática uma estratégia de aumento da eficiência e forte redução de custos.


leia também

Em um ano, PIB acumula queda de 4,1%, diz FGV - Indústria e comércio foram as atividades que mais recuaram

Guarida Imóveis: uma história de tradição e futuro - Conheça a empresa, case do livro “100 Marcas do Rio Grande”

Imóvel de R$ 1,5 mi poderá ser adquirido com FGTS - Atualmente, o teto é R$ 800 mil na maior parte do país

Maior rede de imobiliárias do mundo terá novo ponto no Sul - Já presente no Paraná, Re/Max desembarca no Rio Grande do Sul

Ministério desautoriza Caixa a usar FGTS no Minha Casa, Minha Vida - Bancos utilizam a onda de reformas econômicas de Temer para questionar monopólio da CEF sobre os recursos

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: