BRDE Municípios: uma carga de otimismo para o Sul

Programa que repassará R$ 450 mi dá esperança para prefeitos da região

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Lançamento do BRDE Municípios, em Curitiba

Lançado em Curitiba no início de outubro (foto), o BRDE Municípios, que será administrado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, trouxe uma carga de otimismo para as lideranças do Sul. A iniciativa permite o repasse de recursos, por meio de linhas de crédito, para projetos das prefeituras e dos órgãos e entidades a elas vinculadas. O programa garantirá R$ 150 milhões para cada um dos três estados do Sul, totalizando R$ 450 milhões em novos investimentos. A primeira etapa vai até dezembro de 2018. "Historicamente, o BRDE tem sido o grande fomentador dos investimentos em diversos segmentos da sociedade no Sul, principalmente no setor privado. Mas o novo programa é mais uma iniciativa para fomento às prefeituras, viabilizando obras e ações que são prioridades dentro de cada município", comemorou o presidente do BRDE, Neuto de Conto, na ocasião.

Em Santa Catarina, o novo programa vai complementar ações como o Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam) e o Badesc Cidades. "Com estes recursos vamos melhorando as condições de trabalho das prefeituras para investimentos em infraestrutura nas cidades. A partir de agora as prefeituras já podem apresentar seus projetos para terem acesso a mais este programa", destaca Raimundo Colombo, governador de Santa Catarina. A perspectiva de aportes para as cidades – independentemente do porte que tenham – anima Marcel Micheletto, presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e prefeito de Assis Chateaubriand. “O programa será muito importante para alavancar investimentos que garantirão o desenvolvimento dos municípios”, elogia.  

No Rio Grande do Sul, o Programa Municípios foi lançado oficialmente pelo governo do Estado, na quarta-feira (28). O governador José Ivo Sartori destacou o conceito municipalista do programa. "É uma ação que vai fomentar o desenvolvimento das cidades com a liberação de crédito para projetos de desenvolvimento de áreas rurais e urbanas. Demos um passo importante na recuperação dos municípios, locais estratégicos e mais próximos dos cidadãos”, afirmou Sartori defendendo iniciativas que promovam o desenvolvimento local como forma direta para melhorar a vida do cidadão e da economia estadual. “É necessário que tenhamos boas notícias como essa da crise econômica l pela qual passamos. O BRDE Municípios dá dinamismo para que as cidades tenham capacidade de reagir nesse momento através da realização de obras públicas”, comenta Jairo Jorge, prefeito de Canoas (RS). “O programa fará com que as prefeituras se organizem para ter capacidade de criar projetos que tragam melhoria de vida para a população. No meu entender, esse protagonismo do BRDE em financiar  municípios trará um circulo virtuoso para a economia gaúcha, mas também para a do Paraná e de Santa Catarina”, completa. 

Como funciona
Cidades de todos os tamanhos podem participar do BRDE Municípios, garantindo mais capacidade para investir em projetos que melhorem a qualidade de vida da população. O novo programa disponibilizará suporte técnico, financeiro e toda expertise do BRDE para viabilizar projetos nas seguintes frentes de atuação: saneamento e mobilidade urbana (projetos de drenagem urbana, tratamentos de resíduos sólidos e líquidos, pavimentação, iluminação pública, ciclovia, entre outros); infraestrutura social, urbana e rural (escolas, postos de saúde, centros comunitários, melhorias em estradas vicinais, distritos industriais, infraestrutura turística); e desenvolvimento institucional (ações para qualificação, modernização de processos e sistema).


leia também

A inovação pode ser estimulada - Falhas também fazem parte do processo criativo

A mudança no comportamento do eleitor está por vir - Candice Pascoal explica os efeitos do crowfunding na política brasileira

A recuperação judicial sob o viés do investidor - Palestra em Porto Alegre nesta sexta-feira (16) tem inscrições gratuitas

A responsabilidade da gestão é ainda maior na saúde - Para Pizzato, da Unimed POA, zika é reflexo de falta de planejamento

A superação de crise das empresas requer uma equipe - Para Telmo Schoeler, o grupo deve elaborar plano de ações corretivas

A vez da inteligência na cadeia de suprimentos - A rentabilidade pode até aumentar – mesmo em tempos de crise

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: