AMANHÃ vence Prêmio SINDHRIO de Jornalismo

Publicação abordou os 25 anos da lei de cotas para PCDs

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Auditor Rafael Giguer e a coordenadora do Projeto Inclusão de Pessoas com Deficiência no Trabalho, Ana Maria Machado, ambos do Ministério do Trabalho e Emprego

A matéria intitulada “Sim, eles podem”, assinada pelo diretor de Redação da Revista AMANHÃ, Eugênio Esber, venceu o 10º Prêmio de Jornalismo & Saúde, promovido pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde do Município do Rio de Janeiro (SINDHRio). A publicação conquistou o primeiro lugar na categoria “Revista” ao abordar os 25 anos da lei de cotas para pessoas com deficiência, os chamados PCDs. O conteúdo chama a atenção para o tema e algumas justificativas apresentadas pelas empresas para não atenderem à legislação que obriga reservar de 2% a 5% das vagas. 

Esber entrevistou o auditor Rafael Giguer e a coordenadora do Projeto Inclusão de Pessoas com Deficiência no Trabalho, Ana Maria Machado, ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (ambos na foto). Giguer, apesar do diploma de engenheiro, teve dificuldades em ingressar no mercado de trabalho por ser deficiente visual e então buscou inserção e valorização profissional por meio de concurso público. A reportagem também apresentou o case bem-sucedido da indústria gaúcha Crysalis. Localizada em Três Coroas (RS), a empresa comprova que é possível sair ganhando quando se desprende dos padrões normais de contratação. A edição 312 circulou entre abril e maio. A integra da matéria pode ser conferida no aqui.

No total, 184 trabalhos foram inscritos para concorrer nas cinco categorias (jornal, revista, site, TV e rádio). Os primeiros lugares ficaram com O Estado de S. Paulo (categoria jornal), o Blog Emergência do jornal O Globo (website), a Rádio UFMG Educativa (rádio) e reportagem do programa Fantástico (categoria TV). A repórter e apresentadora Ana Paula Araújo será a mestre de cerimônias da solenidade de entrega. A 10ª edição do Prêmio Sindhrio de Jornalismo & Saúde distribui um total de R$ 65 mil no total da premiação. O júri avaliou os trabalhos inscritos levando em consideração critérios como importância social, oportunidade, qualidade da informação, profundidade e abrangência do tema abordado, além do grau de dificuldade para sua produção.


leia também

Trabalhadores com deficiência mudam ambiente corporativo - Convivência entre colaboradores diminuiu preconceitos e incentiva produção

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: