Agência Fitch rebaixa rating do Brasil

País tem grau de investimento, mas com perspectiva negativa

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Fitch rebaixa nota de crédito soberana do Brasil

A agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou a nota de crédito soberana do Brasil no final da manhã desta quinta-feira (15). Porém, o país continua a ter grau de investimento, mas a perspectiva da nota é negativa. Isso significa que novos rebaixamentos podem ocorrer futuramente. A nota passou de "BBB" para "BBB-", o último degrau do grau de investimento. Abaixo disso, a classificação de crédito dos títulos indica investimento especulativo. 

"O ambiente político difícil está emperrando o progresso na agenda legislativa do governo e criando um ciclo negativo para a economia", descreve o relatório. "A perspectiva negativa reflete a avaliação da Fitch de que o mau desempenho econômico e fiscal deve persistir, enquanto a incerteza política pode continuar a pesar sobre a confiança, postergando uma recuperação do investimento e do crescimento, e aumentando os riscos para a consolidação fiscal em médio prazo necessária para a estabilização da dívida", analisa a agência em nota.

No dia 9 de setembro, a agência Standard&Poor's retirou o grau de investimento do Brasil, ao reduzir a nota de crédito do país de BBB- para BB+. A agência também colocou o país em perspectiva negativa, o que significa que há chance de nova revisão para baixo no futuro. O grau de investimento é conferido a países considerados bons pagadores e seguros para investir.



leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: