Inflação medida pela FGV chega a 9,65% em um ano

A maior alta ocorreu nos itens educação, leitura e recreação

Por Agência Brasil

A maior alta da inflação em setembro ocorreu nos itens educação, leitura e recreação

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), encerrou o mês de setembro com variação de 0,42%. A inflação verificada no período foi 0,07 ponto percentual maior do que a apurada na terceira prévia do mês, no último dia 22, e o dobro da taxa registrada no começo de setembro. No acumulado do ano, a inflação calculada pela FGV teve alta de 7,66% e, em 12 meses, 9,65%.

Apesar de a coleta ser semanal, a apuração das taxas de inflação leva em conta a média dos preços coletados nas quatro últimas semanas até a data de fechamento do cálculo. Cinco dos oito grupos pesquisados apresentaram avanços. A maior pressão inflacionária ocorreu em educação, leitura e recreação em que o índice subiu de 0,05% para 0,33%. Essa elevação foi provocada, principalmente, pelo reajuste do ingresso em salas de espetáculo com preços que saíram de uma oscilação média de -0,21% para uma alta de 1,31%.

No grupo alimentação, ocorreu aumento de 0,32%, acima da taxa registrada na última apuração, que era 0,23%. Em habitação, o índice passou de 0,50% para 0,55%; em transportes, de 0,22% para 0,32% e, em vestuário, de 0,56% para 0,68%. Nas demais classes de despesas, diminuiu o ritmo de alta. Em saúde e cuidados pessoais, a taxa baixou de 0,66% para 0,56%. No grupo despesas diversas, a oscilação passou de 0,19% para 0,14% e, em comunicação, de 0,29% para 0,22%.

As maiores influências de alta no período vieram dos seguintes itens: gás de botijão que ficou 8,6% mais caro; refeições em bares e restaurantes, com elevação de 0,6%; tarifa de ônibus urbano, com alta de 1,1%; plano e seguro de saúde, com alta de 1%; e batata-inglesa, com alta de 10,2%. Em sentido oposto, os produtos que tiveram baixa de preços foram: cebola (-22,9%); tomate (-15,6%); mamão papaya (-13,2%); cenoura (-11,4%) e leite tipo longa vida (-1,1%).



leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

Acionista da Ambev deve comemorar ajuste fiscal - Uma medida específica pode trazer valorização das ações da cervejaria

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: