Como criar um nome inesquecível para seu negócio

Sete dicas para batizar uma empresa ou um produto

Por Gustavo Mota*/Endeavor

naming

De todos os elementos, documentações e decisões necessárias em uma jornada para abrir uma empresa, é provável que o nome da empresa ou do produto seja uma das tarefas mais difíceis de se executar. Hoje, somente no Brasil existem um pouco mais de 18 milhões de empresas. Imagine criar algo que não existe? É realmente difícil, nós sabemos. Já vimos vários clientes esbarrarem-se nos mesmos questionamentos para criar o nome da empresa: “será que meu negócio será regional, nacional ou internacional?”; “coloco um nome em português ou inglês?”; e, até mesmo, “sigla com nome de sócios ou relacionado ao produto?”.

Mas calma, existe uma saída e um caminho para chegar até a criação do nome ideal para sua empresa ou produto. Vamos mostrar a trilha do ouro. Leia com calma, e bom processo criativo!

1) Tenha certeza da sua visão

Quando você decidiu criar sua empresa, com certeza tinha um objetivo, seja ele ajudar as pessoas a comprar comida pela internet ou promover encontro de casais por aplicativos de smartphones. Por isso, a primeira dica é você definir exatamente o que é a sua empresa e o que quer entregar de valor para seu consumidor. Isso é a sua visão: aonde você quer chegar e o que você quer ser.

2) Seja diferente

Sim, mesmo com 18 milhões de empresas, é possível se diferenciar. Existem algumas características do negócio que podem estar presente no nome como forma de diferenciação. Alguns exemplos:

- Por segmento: nesse tipo, você utiliza algum termo relacionado ao seu business para caracterizar o negócio, podendo ser complementar ou o nome da empresa de fato. Ex: o aplicativo para pedir táxis por smartphones 99Táxis.

- Por regionalização: para as empresas que querem se diferenciar por fazer parte de um mercado local. Geralmente pequenos negócios utilizam-se dessa estratégia. Ex: um hotel que fica em uma famosa praia da cidade e leva o nome do local, como o Hotel Praia do Forte.

- Por público: aqui você vai focar no seu público e em seu comportamento para incorporar ao nome da sua empresa . Ex: uma loja de roupas para nerds assumidos, que se chama Geek Store, ou o nome de uma loja de roupas para mães e seus filhos pequenos, como a Bebê Store.

- Por produto: nesse modelo você já vai dar a ideia exata do que é seu business ou mesmo produto no nome. Esses casos facilitam a compreensão do consumidor e geralmente são nomes mais fáceis de lembrar. Ex: Casa do Pão de Queijo – é claro, direto e dá até fome. Outro bom exemplo é da Apple, que criou uma família de produtos “I” (iPhone, iPod, iMac). Uma ótima estratégia de branding para marcar o consumidor.

- Por inovação: para as marcas que estão lançando novos produtos ou serviços inovadores no mercado, uma boa estratégia é ter um nome criativo que “fale” pela inovação. Ex: o Instagram apostou nessa estratégia. Eles queriam um nome que remetesse ao ato de “Gravar” algo “Aqui e Agora”. E pronto, um nome forte e marcante.

3) Curto e direto

As siglas e os nomes curtos são ótimas opções também, pois são mais fáceis de memorizar e até de pronunciar. Uma boa estratégia para criar um nome curto é tentar utilizar as iniciais dos sócios ou do produto. Mesmo que você crie um nome longo, você pode criar uma marca que utilize a sigla em sua composição. Veja alguns exemplos: GSK - GlaxoSmithKline; NASA -National Aeronautics and Space Administration; GM - General Motors; C&A - Clemens e August Brenninkmeijer (irmãos fundadores).

4) Converse com seu público

Uma prática que instigamos sempre em nossos clientes de criação de nome é que eles busquem o público deles e apresente as opções de nomes para eles falarem. É importante perceber como seu cliente vai pronunciar o nome e, principalmente, o que ele entende que aquela empresa faz. Se ele responder algo similar ao que sua empresa realmente faz, pode apostar que você está no caminho certo.

Nem sempre o nome vai estar inteiramente ligado ao negócio da empresa, mas uma pronúncia forte e fácil é essencial, veja o exemplo da Red Bull, marca de energético que tem em seu nome duas palavras de pronúncia e significado forte (“Red” – Vermelho e “Bull” – Touro).

5) Pesquise muito

A pesquisa é essencial para que você chegue a um gran finale fenomenal. Faça um benchmarking de seus concorrentes diretos e indiretos, como eles se comunicam, quais cores usam e se já existem nome similares ao que você pretende usar. Outra pesquisa importante é em relação ao público que você pretende atingir. Pesquise a classe econômica, os hobbies, como ele se comunica na Internet, quais marcas usa. Assim você conseguirá ficar bem próximo e falar a “mesma língua” que ele. Importante: se você é uma empresa que visa um crescimento internacional, é essencial que você saiba como é pronunciada e a tradução da palavra em outros países, para não dar uma mancada similar ao malfadado mecanismo de busca lançado em 2008 pela Microsoft que chamava “Cuil. Primeiro, ninguém sabia ao certo como pronunciava e acabou por se pronunciar “Cool”. Depois de tantas dúvidas e zoações, o mal feito já tinha sido feito.

6) Faça um Brainstorming

Brainstorming é uma expressão americana que na tradução para o português significa “tempestade cerebral” ou “tempestade de ideias”: jogar várias ideias para selecionar a melhor. A nossa dica é que você marque uma reunião só para essa tarefa juntando as pessoas mais importantes para sua empresa – podem ser sócios, colaboradores e até mesmo aquele amigo criativo. Algumas dicas para o processo de brainstorming:

- Nenhuma ideia é ruim ou errada. Não vale cortar os colegas, isso acaba inibindo e prejudicando a sugestão de novas ideias;

- Escreva todas as sugestões no papel, não descarte nenhuma. Somente no final, escolha as melhores e debata sobre ela;.

- Divirta-se! Afinal, você está criando sua empresa ou produto!

7) Está liberado para registro?

Tudo certo? Ainda não, falta um ponto principal que muita gente esquece ou nem sabe que existe. No Brasil existe um órgão que regula o registro de marcas e patentes, o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual). O registro oficial só é válido se for feito pelo INPI. Só assim você e sua empresa ficam salvos de plágios e cópias de marcas.

Acesse aqui a ferramenta ou baixe aqui o aplicativo para fazer uma Busca Prévia Grátis da disponibilidade da sua marca no INPI. Ela vai te ajudar a dar o primeiro passo no registro do nome da sua empresa.

Outro ponto, ainda se falando de registro e que não pode ficar de fora de seu estudo, é realizar a pesquisa do domínio (link do site) na internet. Até porque, imagina criar um nome incrível, uma logo perfeita, um site super tecnológico e o domínio não estar liberado? A UOL tem uma ferramenta bem legal que te ajuda nessa busca. Acesse aqui


Como toda startup, não podíamos andar tão na linha assim. Por isso, nossa dica bônus vai de encontro com algumas dicas anteriores e pensamentos conversadores de alguns marqueteiros: a Natura é um ótimo case nesse sentido. Quando Luis Seabra fundou a Natura em 1969, quase todos seus concorrentes adotavam nomes de origens europeias, principalmente que remetesse a França. Mas Seabra tinha outro objetivo: construir uma marca e empresa que estivesse ligada ao bem estar, à natureza, às relações humanas e à melhoria da autoestima das pessoas. Mais de 40 anos depois, a Natura é considerada uma das 10 marcas mais valiosas do Brasil, segundo levantamento da consultoria de marcas BrandAnalytics.

Agora que você tem todas as dicas para o caminho da criação de um nome de empresa de sucesso, é só colocar a mão na massa e criar! Boa sorte!


*CEO da We Do Logos. Acesse o artigo original aqui



leia também

A arte da conquista - Algumas das marcas mais lembradas pelos gaúchos ensinam como conquistar o exigente mercado do sul

A dádiva de servir à saúde - Conheça a Farmácias São João, um dos cases do livro “100 Marcas do Rio Grande”

A fantástica fábrica de perfumes - Saiba como surgiu a colônia Acqua Fresca, sucesso d'O Boticário

A gigante da energia paranaense - Como a Copel usou a engenharia para vencer os limites estaduais

A grife gaúcha dos eletrodomésticos - Conheça a Venax, case do livro “100 Marcas do Rio Grande”

As marcas boas de bola do Sul - Dupla Grenal tem as grifes mais valiosas da região

comentarios




Roberto Soraire

Muito legal a matéria, parabéns. Principalmente quando comentam da importância da definição da visão da empresa, que muitas vezes neste momento é esquecida. Porém, cuidado: o registro no INPI não garante a proteção mercadológica da marca. Ou seja, algumas marcas, mesmo com o registro no INPI, não conseguem impedir que outras empresas atuem com o mesmo nome no mercado. Exemplo: dificilmente a empresa "Bebê Store" conseguirá impedir que eu utilize a mesma expressão se tenho uma loja para bebês. Acredito que a marca deva ser diferente, única. Por isso, nesse momento, aconselho contratar um especialista em proteção de marcas.

Comentar

Adicione um comentário: