Santa Catarina brilha na ANV 2015

Vinícola Santa Augusta foi um dos destaques, mas o Estado tem potencialidades para ganhar mais espaço no Brasil

Por Marcos Graciani, de Bento Gonçalves (RS)

23a Avaliação Nacional de Vinhos , em Bento Gonçalves

A produção vinícola catarinense foi coroada na 23a edição da Avaliação Nacional de Vinhos (ANV) que apresenta, todos os anos, as amostras [se chamam assim, pois a maioria dos vinhos apresentados ainda não estão prontos para comercialização] mais representativas da safra atual. A vinícola Santa Augusta, de Videira, foi a única fora do Rio Grande do Sul a ter um de seus vinhos entre os mais destacados de 2015. Além de vinícolas gaúchas e catarinenses, também concorriam empresa do Paraná, São Paulo e Bahia.

Produzido com a variedade Sauvignon Blanc, o vinho da categoria branco aromático da Santa Augusta, apresenta aromas de maracujá, brotos de tomate e ervas. No entanto, se não fossem as condições climáticas, os catarinenses poderiam levar ainda mais medalhas para casa. "Os catarinenses fazem a colheita mais tarde, entre abril e até mesmo maio, o que os impede de inscrever mais amostras na Avaliação", explica Mauro Zanus, chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho e membro da comissão de degustação da ANV. "Assim como a variedade Sauvignon Blanc, destacada aqui hoje, Santa Catarina tem potencial para produzir bons Merlots ou mesmos vinhos de colheita tardia", opina Zanus.

Na opinião de Cepas & Cifras, as melhores amostras foram, pela ordem, o Cabernet Franc da vinícola Valmarino; o Merlot, do Miolo Wine Group (a amostra deve ficar ainda oito meses em barrica e pelo menos mais um ano em garrafa antes de começar a ser vendida); o Merlot, da Perini; e o Chardonnay, da vinícola Basso (confira a relação completa das 16 amostras a seguir). Durante o evento, que é promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), também foram anunciadas as vinícolas que ficaram dentro entre as 30% amostras mais representativas dentro de cada uma das cinco categorias. A Perini teve nada menos que 21 amostras escolhidas. É o quarto ano que a vinícola de Farroupilha fica à frente das concorrentes nesse quesito.

As 16 amostras mais representativas da Safra 2015

Categoria Vinho Base para Espumante

Chardonnay - Domno do Brasil (Garibaldi – RS)

Chardonnay/PinotNoir/Riesling Itálico - Chandon do Brasil (Garibaldi – RS)

Pinot Noir/Rose - Casa Valduga (Bento Gonçalves – RS)

Categoria Branco Fino Seco Não Aromático

Riesling Itálico – Luiz Argenta Vinhos Finos (Flores da Cunha – RS)
Chardonnay – Cooperativa Vinícola Nova Aliança (Caxias do Sul – RS)
Chardonnay – Basso Vinhos e Espumantes (Farroupilha – RS)

Categoria Branco Fino Seco Aromático
Sauvignon Blanc – Vinícola Santa Augusta (Videira – SC)
Moscato Giallo – Vinícola Don Guerino (Alto Feliz – RS)

Categoria Tinto Fino Seco Jovem
Merlot – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS)

Categoria Tinto Fino Seco
Cabernet Franc – Vinícola Valmarino (Pinto Bandeira – RS)
Merlot – Vinícola Perini (Farroupilha – RS)
Merlot – Vinícola Miolo (Bento Gonçalves – RS)
Ancellotta – Cooperativa Vinícola Garibaldi (Garibaldi – RS)
Teroldego – Vinícola Monte Rosário – Vinhos Rotava (Bento Gonçalves – RS)
Tannat – Cooperativa Vinícola Aurora (Bento Gonçalves – RS)
Tannat – Dunamis Vinhos e Vinhedos (Dom Pedrito – RS)


leia também

A Coopercentral Aurora colhe frutos no exterior - A exportação fará a cooperativa obter alta de 15% nas vendas no ano

A opção pela sustentabilidade - Vinícola Don Giovanni aposta no plantio biodinâmico de videiras para dar perenidade aos negócios

Aurora amplia capacidade de armazenagem de grãos - Cooperativa investe mais de R$ 20 milhões em silos no MS

Aurora amplia capacidade de armazenamento no MS - Estoque será usado para consumo no Oeste de SC e no Sudoeste do PR

Aurora atinge receita de R$ 8,5 bilhões em 2016 - Cooperativa catarinense teve lucro de R$ 109,2 milhões

Aurora compra indústrias da Cotrel de Erechim - Negócio foi fechado por R$ 108 milhões

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: