BC anuncia nova intervenção para suavizar cotação do dólar

Com leilões do banco, moeda teve segundo dia de queda

Por Agência Brasil

bc

Depois de iniciar a sexta-feira (25) em queda, o dólar comercial voltou a alcançar a barreira dos R$ 4,00 que registrou durante toda quase esta semana. Com a cotação subindo, o Banco Central anunciou um segundo leilão de novos contratos de swap cambial (venda de dólares no mercado futuro). A notícia de mais uma intervenção do BC, além dos leilões de rolagem (renovação de swaps cambiais) e de venda com compromisso de recompra futura, frearam a valorização da moeda, que terminou a R$ 3,976, queda de 0,39%. 

Nesta quinta (24), a moeda chegou a R$ 4,248 na máxima do dia, por volta das 10h30. A cotação passou a cair depois que o presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, não descartou a possibilidade de venda de dólares das reservas internacionais, no mercado à vista.

“Todos os instrumentos estão no raio de ação do Banco Central caso seja necessário”, disse Tombini, que participou, pela primeira vez, do início da coletiva de imprensa sobre o Relatório Trimestral de Inflação, divulgado ontem. A venda de dólares das reservas internacionais não é feita desde fevereiro de 2009.

As reservas internacionais funcionam como um instrumento de segurança para o país em caso de crise no mercado de câmbio. Normalmente, o BC evita vender diretamente recursos das reservas para não comprometer esse mecanismo de proteção, preferindo operações no mercado futuro, como os swaps cambiais, que transferem a demanda pela moeda norte-americana do presente para o futuro. Em caso de turbulência severa, no entanto, a autoridade monetária pode lançar mão das reservas cambiais.


leia também

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A crise no terceiro parceiro comercial do Sul - Casa Rosada anuncia pacote econômico. Indústria brasileira começa a evitar vendas a prazo na Argentina

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Agosto, o pior mês do ano para o Ibovespa - Bolsa acumula queda de 24,6% e dólar comercial totaliza alta de 33%

Ampliação da vantagem de Bolsonaro faz dólar recuar - Bolsa fecha a terça em alta com publicação de pesquisas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: