Aumenta busca de pequenas e médias empresas por crédito

Na região sul, crescimento sobre janeiro foi de 6,2%

Por Agência Brasil

Aumenta busca de pequenas e médias empresas por crédito

As empresas aumentaram em 5,8% a procura por crédito, em fevereiro, em relação a janeiro, e 4,8% sobre o mesmo mês do ano passado. Nos dois primeiros meses do ano, essa busca cresceu 5,6%. Os dados são da pesquisa Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas. As micro e pequenas empresas lideraram a busca por crédito, com alta acima da média de 6,2% na comparação com janeiro, e 6,7% no bimestre sobre o mesmo período de 2014. Nas empresas de médio porte, houve queda  na procura por crédito de 0,1% se comparado a janeiro e retração ainda maior, de 10,9%, no bimestre. No segmento de grandes empresas, a variação também foi de queda, com taxa de 1,3% em fevereiro sobre janeiro, e 2,3% no acumulado dos dois primeiros meses do ano.

Os economistas da Serasa Experian justificaram que a maior dificuldade no acesso ao crédito pode levar as micro e pequenas empresas a procurar novas opções para manter as suas atividades. “As micro e pequenas empresas estariam buscando outras fontes alternativas de financiamento, como o crédito mercantil, por exemplo”, dizem os profissionais da Serasa. O setor de serviços é o que mais tem tomado crédito. Nessa área, houve aumento de 6,6% entre fevereiro e janeiro. Outros setores que registraram crescimento na busca de crédito foram o comércio (5,5%) e a indústria (3,6%). No acumulado dos dois primeiros meses do ano, o comércio liderou a procura com avanço de 9,8%. Os serviços aumentaram a tomada de crédito em 7,3%. Nesse mesmo período, o segmento industrial diminuiu o interesse em 14,1%.

Por região, o maior crescimento sobre janeiro foi registrado no centro-oeste (7,3%), seguido do sudeste (6,5%); sul (6,2%); norte (4,7%) e nordeste (2,9%). No bimestre, a demanda foi liderada pelo norte (9,5%), seguido pelo centro-oeste (8,3%); sul (7%); nordeste (4,2%) e sudeste (2,9%). O cálculo dessas variações foi feito com base no acompanhamento por amostras representadas por 1,2 milhão de empresas com Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: