Dólar fecha semana em alta valendo R$ 3,95

Ibovespa teve queda motivada por noticiários externo e doméstico

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Dólar fecha semana cotado a R$ 3,95

Nesta sexta-feira (18), o dólar fechou cotado a R$ 3,9586, alta de 1,9%, o segundo maior patamar da história do real e maior nível desde 10 de outubro de 2002. Com isso, o dólar acumula alta de 2,1% na semana e de 9,1% no mês. No ano, a moeda sobe 48,8%. Já o  Ibovespa tomou o caminho contrário com uma queda de 2,8% aos 47.167 pontos, com volume de R$ 5,6 bilhões. De acordo com analistas, o cenário está refletindo o desconforto dos investidores com o noticiário externo quanto com o ambiente doméstico.

No Brasil, há incertezas sobre o ajuste fiscal e números mais fracos da arrecadação fiscal se juntam a boatos de que a agência Fitch pode rebaixar hoje a nota soberana. No exterior, o Fed sinalizou na quinta-feira (17) que a economia ainda segue frágil, não apenas nos Estados Unidos, mas globalmente. Isso ficou mais claro quando o Banco Central norte-americano optou por adiar o início da elevação da taxa de juros.

No final do dia, o governo anunciou a arrecadação total de agosto. O valor caiu 9,3% em relação a agosto do ano passado, para R$ 93,7 bilhões, o pior resultado para o mês em cinco anos. O dia foi pesado por causa de rumores dando conta que a Fitch poder divulgar a qualquer momento a revisão do rating soberano do país. A agência é a única entre as três grandes que ainda mantém o Brasil dois níveis acima da linha de corte do grau de investimento. 


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: