Hora de fugir da bolsa

Para especialista, o investidor deve ser conservador neste momento

Por Infomoney

bolsa de valores

O Brasil não passa, definitivamente, por um de seus melhores momentos econômicos. Com a dificuldade de alcançar superávit fiscal, o país perdeu o selo de bom pagador da agência de classificação de risco Standard & Poor’s na última quarta-feira (9). Nesse cenário de turbulências, como o investidor deve se posicionar?

Roberto Seidel, especialista da Patrimono, afirma que o pequeno investidor deve adotar “cautela máxima” e fazer os investimentos “mais conservadores possíveis” no momento atual. O especialista ainda diz: “de uma vez por todas, o momento é para fugir de qualquer investimento de risco, o investidor deve fugir bolsa de valores e de variações cambiais”.

O especialista relata que existe o perigo, no momento atual, de que o investidor olhe a bolsa e ache que ela está barata demais por conta das quedas dos últimos meses. “Nada impede que a bolsa caia mais. Isso é como uma faca caindo, quem tentar pegar no ar pode acabar se cortando”, atesta.

O investimento em bolsa só é recomendado por Seidel por grandes investidores que queiram diversificar e sabendo que esse é um investimento para o longo prazo e não para o curto. “Para quem está construindo seu patrimônio aos poucos, vale a recomendação de não se arriscar na bolsa”, afirma.

Para Seidel, o principal recado para o momento atual é que, quanto mais estável for o investimento escolhido, menos o investidor se machuca. Ele destaca como boas opções títulos bancários que contem com a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), como os CDB (Certificados de Depósito Bancário) e LCI (Letras de Crédito Imobiliário).

Sobre os cuidados com esse investimento, o mais importante é investir em uma instituição financeira no máximo o limite da proteção do FGC, que é de R$ 250 mil e ainda ficar atento ao rating do banco que emitiu o título para saber bem onde está se investindo.



leia também

A Cetip é a ação de dividendos mais indicada para compra - Cinco corretoras recomendam o papel da empresa do setor financeiro

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A crise invejável da Liderança Serviços - Crescimento da empresa será de “apenas” 8% neste ano

Ações da Marcopolo podem valorizar mais de 50% - Fabricante de ônibus faz parte da carteira da Planner

Agora é hora de comprar ações de mineradoras - Morgan Stanley também aposta em papéis de mercados emergentes

Agosto, o pior mês do ano para o Ibovespa - Bolsa acumula queda de 24,6% e dólar comercial totaliza alta de 33%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: