Para S&P, sucesso das medidas de contenção de despesas do governo é incerta

Agência retirou selo de bom pagador

Da Redação

redacao@amanha.com.br

S&P corta rating do Brasil para grau especulativo

A Standard & Poor's concedeu uma coletiva nesta quinta-feira (10) onde deu detalhes sobre o rebaixamento do Brasil para o grau especulativo. Lisa Schineller, analista da Standard & Poor's para o Brasil, reconheceu as tentativas do ministro da Fazenda Joaquim Levy para conter gastos, mas questionou a possibilidade de sucesso. "Observamos que o ministro planeja colocar em ação medidas de recuperação, mas temos incertezas quanto à viabilidade e o sucesso disso", afirmou Lisa.

O que motivou o rebaixamento foi o entendimento de que os planos do governo não indicam mais preceitos necessários para a manutenção do selo de bom pagador. "Nos últimos meses, discutimos muito com investidores e analistas que questionavam a solidez do Brasil e apoiávamos nossa decisão [de manter o grau de investimento] nos planos que o país apresentava. É importante dizer que o mesmo que valia em 2008 vale agora. O que olhamos é o plano", relatou Roberto Sifon-Arevalo, outro analista da S&P.

O recente envio de projeto de Orçamento ao Congresso com previsão de déficit também causou questionamentos sobre a capacidade para reverter o quadro de retração. "Nos movemos rápido", contou Lisa sobre a decisão de rebaixar a nota. "Mas foi uma decisão de peso. Precisaríamos ver mudanças importantes [para voltar a revisar a nota]", antecipou Lisa recordando que a agência não fixa um prazo para novas avaliações.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: