Cade reprova compra da Condor Pinceis pela Tigre

Operação geraria problemas concorrenciais

pinceis condor

O tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) reprovou, nesta quarta-feira (2), a compra da totalidade das quotas do capital da Condor Pincéis pela Tigre – Tubos e Conexões. Por envolver as maiores empresas do segmento de pincéis, o órgão avaliou que a operação geraria problemas concorrenciais, pois a Tigre passaria a deter mais de 65% do mercado. O Cade entendeu que a aprovação da operação poderia resultar em elevada concentração do mercado, aumentos dos preços dos produtos, baixa rivalidade, barreiras à entrada de produtores de menor porte e, até, eliminação de concorrentes dos mercados envolvidos. As empresas, ambas de Santa Catarina, poderão apresentar uma nova proposta ao órgão, para tentar reverter a decisão. A negociação foi anunciada em dezembro de 2014. A Condor Pincéis fabrica ferramentas para uso artístico, escolar e para pintura imobiliária enquanto a Tigre – Tubos e Conexões faz parte do Grupo Tigre, que comercializa pincéis, trinchas, rolos, broxas, escovas e acessórios para pintura. 



leia também

Ainda não é hora de dar o bote - Em um ano de queda para a construção civil, a Tigre emplaca um aumento nas vendas. A meta, agora, é manter o ritmo

Cade multa Marcopolo e San Marino - As empresas apresentaram dados enganosos ao órgão

Cade: criação do Uber não diminuiu uso de táxis - De acordo com estudo, serviço conquistou novos clientes

Grandes empresas catarinenses adotam redução de salário e de jornada - As principais justificativas são a tentativa de evitar mais demissões e a crise econômica

Na alegria e na tristeza - O que faz de um consumidor um cliente fiel?

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: