IPC-S tem alta de 9,7% nos últimos 12 meses

Em agosto, refeição em restaurantes foi o item que mais subiu

Por Agência Brasil

Refeição em bares e restaurantes tem alta de 0,77% em agosto

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) encerrou o mês de agosto com variação de 0,22% na última semana, o que significa uma alta menor em relação à terceira prévia do mês (0,27%). No acumulado desde janeiro, o índice registra percentual de 7,22% e, nos últimos 12 meses, 9,73%. Os dados são da pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciada nesta terça-feira (1).

Dos oito grupos pesquisados, dois apresentaram recuo: alimentação (0,06% para -0,11%) e habitação (0,5% para 0,36%). No grupo alimentação, a queda foi puxada pelas hortaliças e legumes, que tiveram baixa de 7,29% para 10,28%. Os preços aumentaram nos grupos transportes (0,13% para 0,18%); educação, leitura e recreação (0,45% para 0,48%); vestuário (-0,3% para -0,1%); comunicação (0,21% para 0,36%) e despesas diversas (0,09% para 0,12%). No grupo saúde e cuidados pessoais, a taxa ficou estável em 0,64%.

Os itens que mais subiram no período foram: refeições em bares e restaurantes (0,77%), plano e seguro de saúde (de 0,99%), taxa de água e esgoto residencial (1,76%); aluguel residencial (0,42%) e condomínio residencial (0,71%). Entre os itens que mais colaboraram para reduzir o ritmo de alta da inflação foram: batata-inglesa (-20,2%), tomate (-17%), cebola (-9,7%), tarifa de eletricidade residencial (-0,6%) e banana-prata (-7,2%). O levantamento coletou preços em São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: