BLOG
blogueiro
Sr. Consumidor André D'Angelo

Quando a ética sofre “pane seca”

Regras prescrevem o ideal, mas o dia a dia refaz as normas e cria a moral possível ...

Ingovernáveis

Uma democracia só funciona com apatia?...

Por uma utilização mais racional dos carros

E a velha União Soviética, quem diria, antecipou em 50 anos o futuro do automóvel...

Um manequim que nos sorri

A propaganda brasileira estaria no caminho da irrelevância?...

R.I.P. BlackBerry

O smartphone deixará de ser produzido. Alguém sabia que ele ainda existia?...

Com logo II

Marcas são “softwares livres” sobre os quais consumidores e sociedade elaboram usos, ...

Com logo

Marcas que promovem melhoria em espaços urbanos em troca de divulgação seriam “tirana...

Somos todos Bel Pesce?

Exagerar feitos e atributos é a regra, mas isso não isenta ninguém de responsabilidade ...

Estagiários engravatados

As tendências para o trabalho chocam-se com nossa mentalidade industrial...

Uns tão iguais aos outros

Nem sempre a concorrência resulta em diferenciais...

A destruição criativa da Nokia

A empresa finlandesa pivota mais uma vez...

Tudo o que é bom se desmancha no ar?

O lado negro da economia digital...

Defasado, não. Vintage

Aparelhos eletrônicos ultrapassados viram objeto de culto ...

Além do horizonte

Por que o avanço tecnológico é perseguido, mesmo quando parece pouco útil...

Sobre Papas e gurus

Francisco recorre à gestão para dar um jeito no Vaticano...

Para cima, para baixo II

A crise pega, mas fabricantes lançam produtos top. Por quê?...

Para cima, para baixo

Classe AB compra em “atacarejos”. Por quê?...

A década aprendida

McDonald’s volta aos lucros com os lanches tradicionais. Por quê?...

Conquistar ou fidelizar, eis a questão

Academias de ginástica vivem perdendo alunos. Vale a pena tentar recuperá-los?...

De mim para eu

Duas ou três coisas sobre presentear-se...

Presente? Presente!

Duas ou três coisas sobre o ato de presentear...

Inovação pode virar commodity?

É o que prevê um professor de empreendedorismo. Faz sentido?...

Dirigir é pesquisar

Ou viver é fazer pesquisa o tempo todo...

Para você dar o nome II

Golpe ou impeachment, não importa: o que a crise política ensina (continuação)...

Para você dar o nome

Golpe ou impeachment, não importa: o que a crise política ensina...

Insensato brilhante II

Ford: talentoso e teimoso como tantos outros empresários que fizeram história...

Insensato brilhante

Henry Ford foi um gênio do marketing. E um idiota...

Para evitar o “choque de civilizações” nos negócios

Algumas medidas para facilitar a adaptação de um produto ou negócio em um novo mercado...

Quando as culturas colidem

A globalização e a internet tornaram o mundo menor, mas não imune às particularidades ...

Quem resiste ao capitalismo?

Biscoitos para os ribeirinhos, carros para os índios e um tríplex para...bom, deixa para...

Moda, modismo ou tendência?

Saiba a diferença entre esses três fenômenos que afetam quase todos os mercados...

Escrito nas estrelas

Previsões empresariais de astrólogos são piores que a de economistas?...

O que há por trás de um slogan?

A verdade, de preferência...

Somos todos proletários

Concentração de profissionais + baixo crescimento econômico = remunerações modestas p...

Quem se especializa se trumbica?

O que a evolução ensina aos negócios...

Falta combinar com o cliente

Preços dinâmicos podem ser uma bênção ou uma dor de cabeça para as empresas...

A era dos carros sem “charme”

Será esta a característica dos veículos elétricos e dos autodirigidos?...

A RBS desenha seu caminho

O grupo de comunicação, na prática, divide-se em dois: presente e futuro ...

Sobre outras rodas

Lições de marketing sobre o fim da era do automóvel...

O valor da informação

Se consultados, gestores sempre pediriam mais dados e análises antes de tomar decisões...

A imagem em crise

O que uma mineradora e uma montadora de automóveis têm em comum? ...

Vai, mas não volta

Uma empresa não contrata profissionais que já passaram pelos seus quadros. Faz sentido?...

Aprendendo marketing com “De volta para o futuro”

Por que não existem ainda os skates voadores da ficção?...

Na alegria e na tristeza

O que faz de um consumidor um cliente fiel?...

Tudo tem seu preço

A questão é saber qual – e como cobrá-lo...

Redator que cria, designer que escreve

As multi-habilidades parecem estar em alta na publicidade também...

Gerentona ou gerentinha?

Nos cinco anos em que vem administrando o país, Dilma desmentiu a imagem de boa gestora. ...

Que horas ela sai?

A queda de Dilma Rousseff é apenas questão de tempo – e não estou convencido de que i...

E a internet levou

As videolocadoras protagonizam a mais recente cena de um filme conhecido: o da obsolescên...

Problema de diagnóstico

Sociólogo pede que partido político combata o consumismo. Faz sentido?...

O que se perde

Trabalhar para viver ou viver para trabalhar?...

Cozinheiro, por que não?

Ambição dos candidatos a chef reflete nossa falta de certezas profissionais...

Saudação ao risoto-sopa

E a toda a comida que não passaria pelo crivo dos jurados do MasterChef, mas satisfaz nos...

Uma agenda para a sustentabilidade

Três frentes de ação para “vender” a causa verde ...

Negócios bons de crise

Há setores crescendo em um ano tido como perdido...

O que é, afinal, um bom atendimento?

Simpatia, rapidez, formalidade? Ou seria um pouco de tudo?...

Fronteiras do atendimento

O mau serviço é culpa de patrões ou empregados?...

Chega de saudade

Devemos sempre lamentar a morte de empresas tradicionais?...

Brasil vs. Alemanha, mas agora em outro campo

A imagem de cada nação nos esforços de divulgação no exterior...

Eu hoje joguei tanta coisa fora...

Por que é tão difícil descartar objetos?...

Para quê? Para quê?

Há quem pilote o carro da própria carreira sob velocidade controlada, sem enfiar o pé n...

E quando os clientes são sempre os mesmos?

A missão da empresa é evitar o marasmo, trazendo sempre novidades...

Negócios no ritmo do rap

Na periferia paulistana, consumo é inclusão e autoestima...

Aprendendo marketing com os livros de colorir

O fenômeno ajuda a entender os conceitos de ciclo de vida e tendências...

Sobre o ofício de dizer as horas II

A imagem é boa parte do negócio da consultoria...

Como é que se diz "eu te amo"

O que um anúncio para o Dia das Mães diz sobre os tempos atuais...

Sobre o ofício de dizer as horas

Método, experiência e distanciamento são as virtudes de um bom consultor...

Apenas questão de nome?

O que está por trás da "equipe de empatia" do Facebook...

Importante: este é um post sobre advertências

Empresas criam peças involuntárias de humor na intenção de se protegerem...

Isso não muda o mundo

Um banco pode virar uma “love brand”?...

Coração de estudante

Um outro 15 de março e seu personagem singular: o grande artificie da Nova República ...

A tolice de querer ser amado

Tentar transformar uma marca em “love brand” faz sentido?...