BLOG
blogueiro
Ao Redor do Mundo Fernando Dourado Filho

O nome dela é Arabella

Ela fez mais pelo mundo em alguns minutos do que seu avô na vida toda...

Os negros que conheci

A fórmula de inserção passa, evidentemente, pela melhoria das condições do país ...

Chile, onde exportar importa

Há muito tempo que o país diversifica sua diplomacia comercial e deverá ter dezenas de ...

O apedrejamento de William Waack

Ele é tão racista quanto eu sou xiita. Ou seja, zero ...

A Europa do Leste no Brasil

É hora de palmilharmos com pragmatismo as paisagens outrora brumosas que hibernaram por t...

O uzbeque

Fomos parar em Borough Park, onde deve ter transitado o famigerado Saipov, cuja sanha roub...

Eu e Lenine na Praça Vermelha

Uma torrente de emoção tomou conta de mim naquele momento...

Sob o olhar de Churchill

Política é quase tão excitante quanto a guerra. Na guerra, você é morto uma vez, mas ...

O estrago do fanático

O que posso dizer hoje é que devemos cultivar nossos amigos tanto ou mais do que a famíl...

A cortina de bambu

É opção de cada um amar a China ou não. Mas ninguém pode ficar indiferente ao colosso...

La Paillote: surpresa na tarde paulistana

As energias que a criaram a cidade estão latentes em cada esquina. E nelas, ainda temos m...

Okinawa, terra da longevidade

Recomendo que você cultive pessoas que tenham efetivamente o que ensinar e que nos propor...

O bom exemplo argentino

Um efeito colateral salutar para o Brasil seria que a Argentina surfasse as boas ondas que...

Fotos & Fatos

Ou uma tentativa de falar de História...

Cara de rico

Isso é a pior coisa do mundo, pois pagava-se todo o ônus de ser um deles, sem integrar o...

Entre a glória e a vergonha

Se quiser entender talvez a grande catástrofe que foi a construção de Brasília, Mario ...

Trio de ouro do Paraná

Não tenho como dissociar Curitiba de Saul Raiz, Jaime Lerner e Maurício Schulman, cujas ...

A eterna adolescência de Trump

George W. Bush aparece hoje com ares de estadista, quando comparado ao republicano ...

A profecia de meu primo

A confirmação que o tempo foi trazendo aos fatos mostrou que devemos nos acautelar contr...

Um nordestino em Londres

Entre curvar-me ao protocolo e prestigiar um amigo, ficarei sempre com a segunda opção...

Sobre tolos, lúcidos e espertalhões

De cada dez catalães, sete são massa de manobra, o que obedece, de certa forma, à regra...

Kazuo Ishiguro e o Nobel

Para muitos, a distinção é uma Copa do Mundo sem pulos nem cerveja. Mas onde a arte val...

Fake News Made in Macedônia

Nem sempre estamos preparados para associar pequenos fatos isolados à agenda maior do mun...

Códigos de Las Vegas

Como sempre acontece, salvou-se o aprendizado que me levou a concluir que não faria quest...

A higiene de vida dos pragmáticos

Não há prêmio maior na vida do que ser o que se é...

Afinal, onde vamos parar?

Descobri gente que não sabendo lidar com ambientes plurais, recolhe-se a uma conserva cul...

Laura Muller, a sexóloga do "Altas Horas”

Quero ter uma pergunta na ponta da língua para o dia que encontrar de novo com ela...

A véspera do fim do mundo

Imaginando o impacto, vejo a Terra rebolando no espaço sideral, totalmente sem rumo...

Um goy e muitos judeus

De minha parte só recebi gentilezas e até mesmo certa grandeza. Com eles me diverti e me...

Eminências pardas

Algumas empresas apresentam uma nítida coluna vertebral que vai da garagem à presidênci...

Sonhar com ilhas

A imagem insular me faz pensar em proteção contra as hostilidades do mundo...

Todo homem quer ser 007

A identificação dos homens com seus ídolos pode levar alguns deles a adotar posturas le...

Um dia muito especial

O que ficou de mais pessoal foi uma verdadeira obsessão com o noticiário antes de sair d...

A vingança de Camões

Massacrar o português não é passaporte para o sucesso. É só um atentado civilizaciona...

Apelo às mulheres de 60 anos

A última coisa que me atrai no mundo é mulher enfeitada, cheia de lantejoulas e reluzind...

Neve sobre Peshawar

A tentação de explorar fronteiras levou-me um dia até lá...

Israel: um roteiro sentimental

É um país salpicado de heranças culturais bem ancoradas nas três grandes religiões mo...

As agruras da vida civil

Com todas as validades por expirar, nada me fará perder prazos para os ritos que regem o ...

O Brasil em quatro tempos

Para mim, escrever continua sendo a forma mais prática e barata de exorcizar os demônios...

São Paulo no frio

No outono da vida, como ignorar as jornadas de inverno que para mim marcaram os dias prima...

Um almoço nos anos 1980

Reali Jr. era tudo o que eu achava dele e mais alguma coisa...

Terror nas Ramblas

Tenho vínculos profundos com Barcelona e lá vivi páginas intensas da vida pessoal e pro...

Cuidado, ciclista ao volante

Logo vi que o automóvel era uma ocorrência rara na vida dessa mulher saudável e cheia d...

Viver em adultério

Paradoxalmente, minha alma sofre pelas grandes fidelidades que devota aqui e acolá...

Face a face com um "millennial"

Pensando bem, era uma dádiva especial que não tivesse a essa altura que aturar uma criat...

Ventos da Holanda

O diminuto país encerra prazeres a todo instante...

Questão de intimidade

Ao falarem de Gil, será por certo do baiano Gilberto, onde o monossílabo aqui vale como ...

Carta a Luiz Felipe D´Ávila

A vida se vive melhor sem os desgastes da exposição política brasileira...

Um homem chamado Elias Finkelstein

Dele guardarei sempre a lembrança de uma pessoa imune a egolatrias, vaidades ocas, exibic...

Um e-mail perplexo de Barcelona

A possibilidade de vir a jogar de novo com Daniel certamente balançou o coração fragili...

O czar e o bufão

Na cabeça de Putin, um cara durão de verdade jamais vai se voltar contra aquele que lhe ...

Os irmãos Gupta

Ajay, Atul e Rajesh colocaram as fichas no futuro político de um histriônico político s...

Interesse público, negócios privados

É lícito esperar que essa lógica poderá custar dissabores imensos para o clã Trump...

Zelem por seus amigos

Não nos contentemos com a patranha da proximidade digital ...

Fernando da Mota Lima ou a catástrofe brasileira

Esse laço que criamos, amigo velho, resistirá ao tempo. Pena que tenhamos nos conhecido ...

Polêmica sobre costumes na Arábia Saudita

Três coisas me chamaram a atenção por ocasião dessa vista exploratória à região...

O novo pastor

Queria me presentear com uma edição especial da Bíblia e disse que esperava que eu des...

Receita para a vida a bordo

É bom levar uma provisão de remédios e nunca, jamais, subestimar o mar ...

As limitações da meia-idade

O diabetes cruel não foi o preço pelo acerto no atacado da vida...

Mistérios do Facebook

Encantou-me reatar contato na rede social com pessoas de quem já só lembrava vagamente...

Especialistas e picaretas

Nelson Rodrigues já dissera que esses tempos seriam marcados pelo florescimento inexoráv...

Quando tudo dá errado

Espero que essa arrancada em direção ao Natal possa nos trazer mais sorte...

Portugal naufraga diante do Chile

Um Cristiano Ronaldo só não faz verão. Aliás, pouco ou nada fez...

Um passeio pela Vila de Prado

Ao atravessar a Ponte de Prado, fico a pensar como seu José passou os últimos anos de vi...

A festa de São João em Braga

O evento, sinceramente, está riscado de meu calendário. A cidade, não...

Perda total

Sob o manto de uma pretensa fragilidade, urde-se um complô criminoso que resvala para a p...

A natureza em fúria

O incêndio florestal na região de Leiria chegou até mim sob forma de um escudo de nebli...

O imenso legado de Helmut Kohl

Ele foi a prova bem viva de que política se faz com sensibilidade ...

Todo dia é domingo

Voltei ao hotel pensando nas segundas-feiras de ressaca brasileiras que acontecem diariame...

Abravanel e suas filhas

Ele não se ressentiu da falta de herdeiros homens para ocupar os espaços que legará...

O Atlântico entre o Recife e Lisboa

Assim é o mundo da aviação. Como tudo na vida, é faca de dois gumes...

As artimanhas da geografia da alma

Meus rincões são a impermanência do trânsito e o não-concreto do ar...

Rua Fernando Mendes nº 7, Rio

É todo um passado muito remoto que associo às saudades mais enraizadas que um coração ...

Mudança de padrões

Já não enxergo em deputados e senadores os embriões de estadistas ou aspirantes a tal...

Vinhetas de Paris no Outono

Neste meu mais novo livro, mais uma vez os palcos geográficos se alternam de um capítulo...

Dois discursos em Yad Vashem

Que visão de mundo pode ter um homem como Trump?...

As lágrimas salgadas de Leilane Neubarth

Se pudesse, entraria na tela e lhe diria que a vida continua, apesar de tanta crueldade...

Confidências de Dr. Pollock à Rainha da Inglaterra

Lançado pela Chiado, meu novo livro se destaca pela versatilidade temática...

Zé Carioca, personagem síntese

Sinto saudades dos tempos em que ele era uma criação tão absurda que parecia irreal...

"Burakunin"

Espécie de casta do povo japonês, ela foi assim designada no período medieval...

A JBS sai das cordas

Se está patente que o Brasil tende a soçobrar numa turbulência amarga, os irmãos Batis...

Sobre ser gordo

A centralidade da comida faz com que as horas passadas em restaurantes tenham alimentado a...

Manhattan Connection

Enfim um programa em língua portuguesa que consegue achar o tom exato dos que quebram a s...

Minha mãe

Para ela, não basta expedir uma ordem e vê-la materializar-se. Convém ditar o método d...

Inflação em bolívares

Chávez assinalou o começo da marcha rumo à desmoralização da vida econômica...

Onde a vida pode ser melhor?

Eu teria pelo menos 59 países onde a vida me parece mais atraente do que a do Brasil...

Varig, Varig, Varig

Nunca uma marca brasileira me falou tanto ao coração...

O que o compositor Belchior buscava no Sul?

A região era o seu outro lado do mundo, teoriza Fernando Dourado...

Medicina e jeitinho

Não há palavra mais comum nos consultórios do Nordeste do Brasil do que "encaixe"...

À procura da saúde perdida

Eis que começam a chegar as faturas de quase seis décadas vividas longe de médicos...

"Allons enfants..."

Para formar um governo, a França viverá a experiência da coabitação: presidência de ...

As Chacretes e o balé do Faustão

Se Rita Cadillac foi de todas a mais icônica, muitas outras se tornaram conhecidas pela f...

A juventude dos outros

Envelhecer é um tremendo exercício de autoengano ...

A prosperidade de psicanalistas e criminalistas

Os desdobramentos das operações em curso vão escancarar certos porões onde só rara ve...

Os ossos do ofício

Sempre tem gente que assaca palavras do fígado e arremete com vigor contra este escriba a...

Sobre delatores e delatados

Tenho certeza de que a metáfora do jacaré guinado a crocodilo fará parte doravante do r...

Domingo de Páscoa na Cidade Eterna

Mamma Leone não era um exemplo de finesse. Mas estávamos contentes. Tínhamos conhecido ...

Uma dica de Paulo Gustavo

Quando a Humanidade celebra eventos de maior transcendência espiritual, espero estar na c...

Trabalhando com Orientais

Avessos ao toque físico, eles prestam muita atenção ao que você diz e não serão deli...

Mais marceneiros e menos advogados

A fidelidade se desdobra ao longo de anos e o nome do profissional vira sinônimo de confi...

As "veias abertas" e Temer

Nada nos autoriza a esperar que um mandato-tampão venha a encantar ou reverter os rumos d...

Recrutamento à moda antiga

Nosso cliente se ressente da falta recorrente de uma clivagem entre a realidade que veicul...

Mais do mesmo

Bem menos divertido é regressar e ver que o noticiário mal saiu do lugar...

Mistérios sob o sol nascente

O Japão honra sua vocação insular e eleva à forma da arte até as coisas mais simples ...

Sobre gatos e cachorros

O mesmo diapasão afetivo por eles tomou conta do Brasil em grande escala...

"Maradona good, Pelé better, George Best"

A irreverência tem de ser dosada numa carreira que é por si só muito curta ...

Aniversário

Nada é tão belo quanto enfrentar a vida com desassombro e combatividade...

Alexanderplatz, Berlim

Eis uma cidade nada banal, sutil e de descoberta árdua...

Ser inglês

Demonstrar uma certa indiferença ao infortúnio integra o espírito britânico de forma i...

O churrasco e o Fator Weiske

Um dos pilares de nossas exportações e estilo de vida se viu trincado por uma marretada ...

Jeroen Dijsselbloem e o fator intercultural

Um pedido de desculpas deveria bastar para que essas coisas não ganhassem destaque excess...

Quem aguenta tanto amor?

Esse sentimento é como o bom vinho e os enchidos. Na dose certa, são divinos. Demais, ma...

É de expectativa que o mundo vive

A notícia da privatização dos aeroportos pode sinalizar a retomada da confiança no Bra...

O mais novo xodó da Europa

A comunidade de negócios percebe claramente que o pior ficou para trás. E que o futuro s...

Padrão helvético de cidadania

Assim é a Suíça. Por trás da imagem idílica, há extremo rigor na organização da vi...

O mundo vai à Feira

Repasso mentalmente a visita à Euroshop, um dos maiores eventos de varejo do mundo...

O futebol do Barcelona

O jogo contra o PSG reavivou uma admiração adormecida pela camisa azul-grená...

Raciocínio de empreendedora

Tomada pela sinceridade que só as amizades antigas permitem, ela se declarou muito feliz ...

Bilionários sem propósito

Muitos não estão prontos para o usufruto da fortuna, o que os leva a resvalar para o rid...

A Disneylândia onde Mickey bebe vinho

A atração em Marne-la-Vallé é visitada anualmente por 15 milhões de pessoas...

François Fillon e outros

Certo é que os dilemas deontológicos varrem boa parte do planeta...

Nuvens da política

Não há dúvida que o pós-Carnaval prenuncia trovoadas nos céus do Planalto...

Quase primavera

Essa estação é, sobretudo, um estado de espírito ...

Um livro para o Carnaval

Trata-se de "Collor Presidente", do historiador Marco Antonio Villa ...

Donald: a largada digna de Pateta

A erosão da credibilidade já faz estragos até na Rússia onde ele vinha conseguindo mai...

A sétima arte

O cinema ainda é uma deliciosa viagem virtual e, felizmente, ainda ao alcance de muitos...

"Carnaval à vista"

Embora reconheça a exuberância da festa carioca, é para o eixo Recife-Olinda que se vol...

O prêmio de Raduan Nassar

Nunca é demais lembrar: temos muito chão para piorar...

Livros: o destino de um amor

Onde estiver, a alma do finado se sentirá apunhalada. Sofre menos quem não ama ...

Diferenças culturais no Brasil

Na Paraíba, por assim dizer, se improvisava mais do que em Santa Catarina...

Da Política

Jamais ficarei totalmente indiferente ao tema, mas reconheço que ele já não desempenha ...

Aqui é o meu lugar

Sou um sujeito algo volúvel, excessivamente hipotecado às emoções do momento...

Desafetos e desafios

Ambientes de excelência dificilmente prescindem de um elemento de competitividade que faz...

Variações em torno da narrativa chinesa

São muitas as áreas em que as camadas tectônicas das civilizações se encontram em est...

"Eu quero ter uma vida como a sua"

A que optei por levar pode até suscitar uma ou outra reação de admiração, mas o contr...

O amor em desuso

O jogo das autonomias acirra ânimos e castiga nossos velhos corações...

Roberto Justus, o ególatra

O que vemos acontecer é a entronização de figuras midiáticas como sendo uma alternativ...

O padrão negocial de Trump

Acautele-se, Donald. Seu pai já não está por perto e até Melania domina as idiossincra...

Eike e a esquizofrenia brasileira

O ser humano é animal de estranhíssima natureza. Mais ainda no Brasil...

França: onde o trabalho parece castigo

Se os franceses querem atingir o nível de seus vizinhos, resmunguem menos e trabalhem mai...

Um começo lastimável

Sequer no meio de vereadores de grotões se vê tanta bravata ...

Visionários e comandados

Não se tira impunemente um funcionário do avião de carreira para o jato corporativo...

Eu sofro de tecnofobia

Se Steve Jobs tivesse me conhecido, teria me confinado para estudo...

Mário Soares e o estadismo

Ele se notabilizou por uma característica que lhe valeu em Portugal o apelido de "o Rei...

Vida a -15°

Quanto mais azul estiver o céu, mais inclemente pode ser a sensação térmica...

A Disney do Leste

Praga precisará rever sua estratégia de captação de turistas e, oxalá, dará um passo...

A bordo do Expresso Chopin

A cada idade que visitamos Auschwitz, a impressão muda. Sempre para pior...

O que 2016 ensinou?

As lições de hoje não diferem muito das de anos anteriores, o que me remete à vala com...

A caminho de um novo ano

Tudo que quero é viajar frugalmente e viver com intensidade todos os dias...

Lembranças natalinas

O velhinho jurara que iria trocar o brinquedo infantil por uma bicicleta de verdade...

O trabalho que dá ser italiano

Já nem falo da combinação de cores inusitadas como alaranjado, vermelho e abóbora...

Duas delícias napolitanas

O dialeto e a mozzarella são minhas escolhas...

Uns e outros

Se há uma clivagem entre delatores e delatados no Brasil, o mesmo paradigma pode se aplic...

Vinhetas cubanas e a vaca de Fidel

Ao Comandante, diria: “Para mim, Fidel, a História não o absorverá”...

Doze maneiras de enlouquecer um garçom francês

Eles ficam estarrecidos com a intimidade que alguns brasileiros querem soldar no calor de ...

Rudimentos de aviação V

Pelo sim, pelo não, melhor não esperar muito de quem sentará a seu lado...

Rudimentos de aviação IV

Certo é que o serviço de bordo começa já a ficar bastante aceitável na classe executi...

Rudimentos de aviação III

O que interessa saber a ordem de embarque dos passageiros que estão na sala 3 e que se de...

Rudimentos de aviação II

Embora a Imigração seja marcada pela sisudez, países com hierarquias horizontais podem ...

Rudimentos de aviação I

A aviação integra a minha existência de forma constante há mais de 40 anos...

Viagem frustrada à Ilha de Tonga

Embora ser gordo confira prestígio, a obesidade lá é uma epidemia grave...

Paris no outono

A minha é feita de folhas mortas do cais do Sena. E a sua? ...

Amargo regresso

Constato que penhoramos parte de nossa juventude num cassino onde os dados eram viciados...

Cada um é Majestade a seu modo

Seu exército era seu sorriso. Seus soldados, seu abraço ...

Personalidades políticas: Juppé e Serra

Ambos confiam no que fizeram e nenhum deles busca a simpatia demagógica e eleitoreira...

Amor e desilusão

Só me restou torcer para que ele tenha superado nos últimos anos tamanha desdita...

Por que é tão penoso lançar um livro no Brasil?

O escritor tem a impressão de que perpetrou um imperdoável embuste...

Blá-blá na Alsácia

A minha pergunta é se a economia compartilhada aponta como uma solução para essas defor...

Domingos Montagner ou quando a vida imita a arte

Nunca escondi a admiração por aqueles seres iluminados pelo amor à arte que, nesse caso...

Nos passos de Fiszel Czeresnia e outras estórias

Reproduzo a entrevista que concedi ao jornalista Rolf Schulte sobre meu mais novo livro...

A tragédia brasileira

Consola saber, contudo, que o que não falta é trabalho ...

Viajar, missão transcendente

Traduzir contextos culturais deveria ser obrigatório para os que fizeram suas vidas na es...

África negra e culpa branca

Os próprios africanos reconhecem a complexidade do dilema e o simplismo de algumas visõe...

Teatro: laboratório de líderes

Recomendo às áreas de RH que se voltem para esse velho instrumento de autoconhecimento...

O mundo que eu vi

Fui tomado por grande senso de urgência e marcada disciplina intelectual...

Exercícios físicos e Olimpíada

Esporte é vida. E a festa de abertura já foi um belo começo ...

Pessoas nefastas

A maledicência é filha dileta do mau caratismo...

Desemprego, desespero e desesperança

Médico, alfaiate, engenheiro e cozinheiro sofrem em igual medida o impacto brutal dessa q...

Estratégia e tormento: a dor de uma recordação

Sofri enormemente por estar um pouco à frente de meu tempo, mas é para isso que servem c...

A Confraria da Conversa e do Prazer

Somos quatro amigos e todo ano viajamos para uma parte do mundo para descobrir juntos as d...

Banho de sangue em Istambul

Eu já vinha observando que a segurança no Atatürk estava frouxa para acolher os passage...

Homens da História

O guerreiro, o estadista e o articulador são identificáveis em todas as culturas...

Cinco países

Eis algumas nações interessantes entre o Atlântico e o Cáucaso...

Vinhetas georgianas

Encruzilhada de civilizações, eles valorizam como poucos a amizade...

Viajar às cegas como Elias Canetti

O escritor búlgaro, radicado na Inglaterra, estará ao meu lado em espírito...

O desafio de viajar em família

Como dizia um primo mais velho, o luxo da viagem é a companhia...

Viver para compartilhar

Antes do termo se incorporar ao jargão do Facebook, parece ser esse meu destino...

Missiva a um amigo português

O que posso te dizer desse transatlântico chamado Brasil é que ele segue seu curso ...

London, London

Quantas cidades podem se orgulhar de mesclar a tradição com a vanguarda como ela? ...

Luiz Felipe D´Ávila ou a elite que madruga

Quem o ouvir, ficará bem impressionado e renovará a crença em nosso malbaratado destino...

Fronteiras: para onde ir?

A Europa é um bom alvo para quem busca sua bala de prata nos palcos desenvolvidos do mund...

O verbo

Os parlamentares se mostraram invariavelmente histriônicos no afã de capitalizar o momen...

Auf Deutsch

Contrariamente ao que reza a sabedoria popular, são muitos os alemães desinibidos, extro...

Exportação para almas poéticas

Sendo o Brasil um país de vocação autossuficiente, a ciência de operar por sobre as fr...

Roger Agnelli e a internacionalização

Seu nome brilhará no panteão dos heróis discretos desse malbaratado começo de século...

Liderança posta à prova

O tripé em que se estriba a chefia é o composto harmônico de conhecimento, visão e vir...

Países preferidos

Mas, afinal, o que está por trás da subjetividade do destino favorito? ...

De Soweto a Atibaia

Será que as carências da infância disparam uma espécie de gatilho de compensação na ...

Uma semana no Facebook

O resultado parcial disso é que de homem feliz, me tornei um angustiado ...

Cuba: nada será como antes

Acredito que a ilha se revelará uma grata surpresa para a América Latina lá por meados ...

A Pauliceia desvairada

São Paulo tem uma legião de fãs e que certamente não a trocam por lugar nenhum no mun...

Lesbos e o Nobel da Paz

O que singulariza o pedido é que os gregos passam por um momento dramático e mostram que...

O chef Carlos Bertolazzi

Carluccio incursionou durante alguns anos no mercado financeiro até optar por uma vocaç...

Riversdown: a capital do inglês

O idioma de Oscar Wilde é como uma esponja que absorve dia após dia novos elementos...

Carma e destino do Sudeste Asiático

Bangkok me confirma que, mazelas à parte, o século 21 é, decididamente, asiático...

Afrísio Vieira Lima

Se é verdade que um homem só morre quando deixamos de falar dele, é lícito vaticinar q...

Ano Novo num 777 atolado na neve

Quando juntamos distância de poder e tendência a lavar as mãos diante de fatos maiores,...

O pai da médica e o subversivo

A medicina deveria ser a seara dos que sonham com os cheques polpudos? ...

Quase Natal

Tanto quanto celebrar, me compraz ver a vida da janela, como se o mundo fosse a passarela...

Padre: uma carreira desafiadora

Não se paga imposto de renda e o calendário é assinalado por festividades em que a mús...

Uma cidade singular

Trieste é páreo para Budapeste, Dubrovnik, Salônica, Belgrado, enfim, os grandes centro...

A dança e a guerra

A informação excessiva é uma corruptela do consumismo e, a seu modo, cria um fundamenta...

Vive la France

Ninguém ficou indiferente à beleza da cerimônia que homenageou as 130 vítimas dos aten...

Um hotel que vale a pena

Me chamou a atenção um certo Citizen M, colado a um dos terminais. Foi uma de minhas mel...

Schengen: um sonho curto

O tratado que permite a livre circulação de pessoas entre Lisboa e Helsinque se ressente...

Gastronomia e resistência

Mexer com o significado dos alimentos diante dos povos é cutucar fera com vara curta...

A tal da lógica

Quem disse que os portugueses são um pouco alemães?...

A sabedoria de Boni, o global

"Ainda estamos a centenas de anos-luz do nível médio europeu", vaticinou com alguma tris...

O boa praça Miele

Ele riu com gosto, e se saiu com um solidário: “A vida é assim mesmo, companheiro. Nã...

O pintor de Essaouïra

A falta de dinheiro gera disfunções afetivas na família quase tão graves quanto aquela...

Colosso acorrentado

Se a própria China reconhece no TPP um recado de alerta a suas pretensões hegemônicas, ...

O incompetente motivado

Se as vendas estão lá embaixo e as finanças ruins, ele abre um sorriso e adotará medid...

Roteiro de ação para uma boa temporada sueca

O que os brasileiros podem aprender com os habitantes da Suécia...

Atendimento soviético

Já cansei de sugerir à tripulação: desburocratizem e vendam mais. O que ouço é um de...

Brava gente brasileira

Qualquer um que tenha perseverado tanto, só pode mesmo atrair isso que se chama sorte...

Uber, foie gras e resorts

Quando há muita gritaria, é sinal de que o argumento é fraco...

Momento McDonald´s

Aqui concorrência é tudo. Pulsante, cruel e incessante...